quinta-feira, 27 de maio de 2010

EP visceral e pesado do Grupo Porco de Grindcore Interpretativo


Eles começaram como o Skank, fizeram sucesso sob o nome de Jota Quest e hoje são como o Pato Fu. Essa poderia ser a história do Grupo Porco de Grindcore Interpretativo se, em janeiro de 2009, eles tivessem aprendido a tocar sanfona e cativado a tradicional família mineira com o Baião politizado de raiz. Ao invés disso, trilharam uma carreira de sucesso e hoje seduzem platéias por onde passam, seja na capital ou em festivais como o Bananada, em Goiânia, onde se firmaram como o primeiro e maior grupo musical de grindcore interpretativo tupiniquim do universo.

O sadismo dos filmes do cineasta gaúcho Sady Baby, responsável por clássicos como “Emoções Sexuais de um Jegue” (1986), foram a inspiração necessária para que essa banda pudesse salvar, através da chacota, a cena musical que se auto-depreciava. Dinossauro com um Beck Gigante (abril de 2010) é a prova disso. Visceral como um padre pedófilo, pesado como uma dobradinha e, ao mesmo tempo, suave e delicado como a primeira menstruação de uma cotia, o EP é obra de Porquinho (guitarras e vocal), Leo Pyrata (vocal) e Batista (baixo).

O disco é uma obra de arte, uma macumba pra turista sexual usar de trilha sonora em apresentação de powerpoint sobre os highlights do carnaval na lama, como explica o Manifesto do Samba-Grind-Delícia, lançado junto com o disco. Baixe, escute, mostre pra sua namorada e ajude a salvar o mundo.

Baixe aqui este lindo disco

Resenha macia feita pelo meu amigo Glutão (vulgo Danyboy), extraída do Mixsórdia

Um comentário:

Porquinho disse...

valeu jão!!!

<3<3